20 dicas para organizar a sua rotina de mãe

 

Olá, tudo bem mamães?

Com a chegada do bebê em casa a rotina nunca mais será a mesma. Por isso hoje irei falar um pouco de como se organizar melhor com o bebê e deixar o seu dia mais produtivo e menos cansativo.

Passar, lavar, dar uma geral na casa e preparar o jantar viram tarefas muito mais complexas quando realizadas com um bebê em casa. Além da vigília, essa nova e constante tarefa materna, surgem outras ocupações, variáveis de acordo com a idade da prole: preparar mamadeiras, trocar fraldas, trocar roupas, preparar a comida adequada, checar os deveres escolares. Diante deste cenário, toda mãe se pergunta: “como vou dar conta de tudo?”

Procurar a ajuda de uma profissional – uma arrumadeira ou uma babá – é um recurso comum, mas nem sempre possível. De qualquer forma, com ou sem auxílio , é preciso criar uma nova organização doméstica.

Espero que gostem das dicas e que elas ajudem você a otimizar o tempo!!!

 

 

1. Diminua as expectativas

A primeira coisa é assumir que a sua vida mudou. Não espere, agora mãe, fazer com a mesma perfeição aquele cupcake que era o seu orgulho, malhar cinco vezes na semana como você costumava fazer, ou ser a profissional sempre disposta a ficar até mais tarde no trabalho. Com a chegada dos filhos, é natural haver uma mudança de foco e uma nova redistribuição do tempo. Entender isso diminui a cobrança da mãe consigo mesma e a faz optar por caminhos mais práticos, tornando os objetivos acessíveis à sua nova realidade.

 

 

2. Crie uma rotina para a criança

A rotina é a ferramenta indispensável para dar conta de tudo. Estabelecendo hora para café da manhã, para brincar, para lanche, para a soneca, para banho, refeições e dormir, todo santo dia na mesma hora. É ótimo para podermos nos organizar e calcular o tempo – e bom para os pequenos que, sem saber ler as horas, estabelecem um ritmo interno através da rotina.

 

 

3. Planeje tarefas semanais

A especialista em organização e administração Ana Afonso sugere que as famílias tenham de fato uma agenda. Pode ser um caderno, um quadro ou calendário, colocado estrategicamente em um ponto da casa em que todos possam ver. “Cada um anota o que vai fazer e se programar fica mais fácil”, diz. Entre os compromissos que podem ser anotados entram cursos extra-curriculares, médicos, visitas de fornecedores (como uma entrega programada de gás ou água), reuniões na escola e outros que ocupem horários além dos diários, da escola e do trabalho.

 

 

 

4. Faça do sling um aliado

Quanto menores as crianças, mais tempo elas ocupam. Mesmo se não estiver trabalhando fora, você provavelmente deve continuar responsável por tarefas como preparar uma refeição ou ir à farmácia. Nessas horas, as mulheres que se adaptaram ao uso do sling falam maravilhas do acessório, capaz de manter a criança junto ao corpo da mãe, deixando os braços da mulher livres.

 

 

5. Peça ajuda para tarefas mais difíceis

Se a fase atual dos seus filhos torna difícil levar algumas tarefas mais demoradas, como uma faxina completa, até o fim, peça ajuda. Nem que seja para algum familiar cuidar das crianças enquanto você se dedica a ela. Atividades externas, como ir ao supermercado, podem ser feitas com o pai ou uma avó, e virar uma espécie de programa familiar.

 

 

6. Crie ambientes para deixar as crianças livres, perto de você

Fazer as tarefas juntos pode ser uma ótima opção, desde que os perigos estejam longe. Uma ótima idéia a user utilizada são os cercadinhos. As crianças podem ficar em segurança, tirando uma soneca, brincando…

 

 

7. Incentive seus filhos a participar

Ana Afonso, que além de personal organizer é mãe e avó, sugere delegar pequenas tarefas aos filhos, para aliviar os pais e criar uma relação de cuidado mútuo. Além de algumas responsabilidades com a casa, os filhos mais velhos podem ser bons aliados na hora de entreter os mais novos enquanto as mães realizam algumas tarefas rápidas.

 

 

8. Pare de dizer que não tem tempo

Ninguém tem tempo. O dia tem 24h para todo mundo. Dizer que não tem só faz suas amigas revirarem os olhos a cada atualização de status no seu Facebook (só que elas nunca lhe dirão). Ser uma pessoa organizada significa arranjar tempo para tudo, você precisa descobrir quais são suas prioridades e instaurar processos que facilitam o dia-a-dia, gerando o tempo necessário para fazer o que precisa ser feito. Logo, se você diz que não tem tempo, na verdade está dizendo que não sabe priorizar suas atividades.

 

 

9. Tenha uma agenda

Comece com o básico. Tenho certeza que você tem uma série de compromissos martelando na sua cabeça (“não posso esquecer disso ou daquilo”), porque todos nós temos. Passe para a agenda. A diferença entre ter ou não uma agenda é que a agenda é uma ferramenta que você pode confiar mais do que a sua cabeça. Anote lá e pare de se preocupar com o medo de esquecer. Não é possível que você consiga se lembrar das reuniões escolares de todos os filhos, das consultas médicas, das provas, das vacinas, dos aniversários de coleguinhas de escola, do telefone do pediatra. Se você consegue, não é motivo de parabéns, mas de preocupação – esvazie sua mente e seja uma pessoa mais tranquila! Ninguém merece ter todos esses dados decorados na cabeça. Muita informação para pouca necessidade. Use uma agenda.

 

 

10. Troque de roupa

Se você trabalha fora, já faz isso por obrigação, mas e aos finais de semana? Vista-se no momento em que acordar para dizer a si mesma que já está pronta para outra. Pode perceber que, quando você fica de pijama o dia inteiro, o pique nunca vem ou demora horas até chegar. Não postergue! Vista-se assim que acordar, especialmente se você trabalha em casa ou está de folga aos finais de semana. Você já deve ter percebido isso, mas mãe não tem folga. Deixe o pijama para a hora de dormir! Esse simples passo faz uma grande diferença na hora de começar o dia.

 

 

11. Crie uma rotina para você

Você pode dizer que odeia rotinas e gosta de fazer cada dia de um jeito diferente. Ok, mas ter uma rotina não significa ser rígida com os horários nem transformar sua casa em um quartel general, e sim ter ações previsíveis para o que é realmente rotineiro: fazer almoço, janta, lanche, dar banho nas crianças, colocá-las para dormir, levar e buscar na escola. Se você não tiver uma rotina, será sempre caótico mesmo. Talvez seja mais fácil se você tem somente um filho, mas com mais de um criar uma rotina é questão de sobrevivência.

 

 

12. Defina um menu semanal

Você pode definir que todo domingo criará um menu semanal com o que tem na despensa. Basta fazer uma lista com os pratos preferidos da sua família e distribuí-los ao longo da semana. Você não precisará prepará-los com antecedência, apenas garantirá que não chegará na terça-feira à noite, cheia de coisas importantes para pensar, tendo que perder tempo definindo o que irá fazer, procurando ingredientes, se estressando à toa. Você não perderá tempo nem deixará de ter um jantar saudável por causa da pressa e da desorganização.

 

 

13. Faça uma lista diária de tarefas

Recomendo às mães que façam uma lista diária de tarefas absolutamente necessárias, com aquilo que, se você não fizer, a casa cai: lavar a louça, arrumar a cama, esvaziar as lixeiras, recolher a roupa suja, guardar o que está fora do lugar etc. Cada casa tem suas necessidades. Não é para colocar “lavar a garagem”, pois não é algo que você precisa fazer todos os dias. Coloque somente o necessário. Ao longo do dia, vá fazendo um pouquinho aqui e um pouquinho ali, para chegar ao final do dia com a lista inteira riscada. E lembre-se de que você não precisa (nem deve) fazer tudo sozinha.

 

 

15. Tenha um tempo para você

Sei que ser mãe é um trabalho de 24h por dia, sete dias por semana. Mas, se você não arranjar esse tempo, ninguém arranjará para você. Pegue uma noite da semana para ir ao cinema, sair com as suas amigas, ir a uma livraria que gosta, fazer um curso ou simplesmente tomar um banho mais demorado, com direito a todos os cremes do mundo. Depende bastante da rotina da sua casa e das necessidades de todos, mas você precisa encarar a si mesma como prioridade tão quanto encara seus filhos e seu trabalho.

Pelo menos uma vez por dia, tenha o seu momento, não importa o que você escolha fazer com ele. Se você e o seu marido trabalham fora, vocês podem fazer uma espécie de rodízio – se você sai uma vez por semana, ele também pode sair e fazer o que quiser. É importante e faz diferença. Você volta com a cabeça arejada.

 

 

16. Aproveite o vínculo com outras mães

Quantas mães você conhece pela internet? E quantas mães você conhece pessoalmente? Aproveite as idas ao supermercado ou ao parquinho para fazer amizades. Sabe o motivo? É fundamental saber que não está sozinha. É difícil e trabalhoso para todas as mães. Todas sentem culpa, tristeza, alegria, satisfação, frustração. Conversar faz bem. Fazer isso ocasionalmente (em vez de nunca) te dará uma dimensão melhor de tudo e fará você mudar suas perspectivas, dar boas risadas e viver bem. O que isso tem a ver com organização? Se você estiver desequilibrada, o máximo que conseguirá organizar é o seu calendário de consultas médicas. Cuide-se.

 

 

17. Aceite ajuda

Muitas mães querem provar para os outros e para si mesmas que são capazes de dar conta do recado sozinhas e sem a ajuda de ninguém. Se você pensar assim na maioria das vezes, você acabará ficando exausta e com o seu estoque de energia indo todo para o espaço. Os cuidados com o bebê, com a casa e com o trabalho exigem muito de nós, e se não aceitarmos ajuda, não seremos capazes de fazer tudo o que precisa ser feito. Normalmente, contar com a ajuda dos avós do bebê nessa fase faz toda a diferença. Os avós poderão cuidar do bebê sempre que você precisar fazer alguma atividade individual. Nos dias de faxina da casa você pode deixá-lo com eles, ou convidá-los para a sua casa, para que eles possam ficar de olho no bebê enquanto você cuida dos afazeres. Assim você “ganha tempo” e, acredite, os avós irão adorar! Também é válido contar com os avós (ou com uma pessoa de confiança) quando você precisar sair para cuidar do cabelo ou fazer as unhas. Cuidar de sua aparência é muito importante após a gravidez, para evitar problemas como a baixa autoestima e a depressão pós-parto.

 

 

18. A ajuda do pai também é essencial

O pai do bebê (quando presente) pode e deve ajudar nas tarefas de casa e também com o bebê. Afinal, a única coisa que o pai não pode fazer é amamentar, o restante: trocar fralda, dar banho, cantar uma musica para ele dormir, limpar a a casa… Todo pai consegue (mostre isso para ele). Portanto, procurem se revezar nas atividades. Por exemplo: enquanto a mãe amamenta o bebê, o pai pode descansar. Quando ela acabar, ela pode descansar enquanto o pai troca a fralda e o coloca para dormir. É muito importante o pai fazer o máximo possível, pois em muitos casos a mãe ainda está debilitada fisicamente com a recuperação do parto. Vocês podem, também, usar os momentos de boa disposição do dia para fazer tarefas simples e ir colocando em ordem as coisas. Não se preocupem com a casa inteira agora , somente com o que for relacionado a vocês e ao bebê. O restante pode esperar! Porém, se estiverem cansados, somente descansem!

 

 

19. Crie um “Ritual do Sono”

Seu bebê não sabe o que é um dia de 24h, mas você pode ir ensinando a ele o que é dia e o que é noite. Inicie o ritual do sono quando anoitece, dando banho, amamentando e colocando-o no berço. Deixe-o acordar somente quando estiver com fome. Uma dica importante: não o deixe dormir mais de 2h por soneca durante o dia. Essa é uma das diferenças do dia para a noite… De dia você o acorda. De noite não. Fazendo todos os dias as mesmas coisas antes de leva-lo ao berço, ele passará a associar esse momento a hora de dormir. Isso vai garantir a você uma boa noite de sono para estar disposta no outro dia.

 

 

20. Faça uso da tecnologia

Hoje em dia, existem aplicativos de celular para quase tudo (se não para tudo) ou um site na internet que resolve o problema (como de um banco para pagar uma fatura). São tecnologias e sites como esses, que podem ser grandes aliados seus nesse momento. Precisa abastecer a dispensa? Alguns cliques e as compras são entregues na sua casa! Simples e prático. Sem dúvida a tecnologia tem contribuído muito para facilitar a vida das pessoas e você, mamãe, pode usufruir desse beneficio para tornar sua vida mais prática e organizada.

Espero que as dicas tenham sido úteis para vocês e desejo muito boa sorte nessa aventura!!!

 

 

Fontes

delas.ig.com.br

vidaorganizada.com

mamaeautoestima.com.br

Deixe seus comentários

Postar comentário

0

Pessoas nesta conversa

  • Convidado - Carla Michel

    Adorei as dicas!!! Muito úteis e com certeza vão fazer a diferença !!

    0 Como URL curta: