DESFRALDE... chegou a hora, e agora?

Vamos falar de uma fase um pouquinho complicada, que ocorre por volta dos dois anos de idade… o tão temido desfralde.

Pode ser difícil no começo, mas depois que começa a funcionar é um alívio para todos.

O segredo do sucesso do desfralde é só começar com o processo quando a criança realmente já tiver capacidade física (controle esfíncteriano) para administrar as suas necessidades.

Embora existam crianças que consigam fazer isso já com 1 ano e meio, outras só vão estar prontas para deixar a fralda depois de completar 3 anos.

Os especialistas recomendam que a fralda não seja tirada muito antes dos 2 anos, pois a criança ainda não está preparada – você vai se frustrar à toa e pode criar traumas em seu filho. Não adianta forçar a natureza.

Então quando tirar?
Só a partir do segundo ano de vida o bebê sai da fase oral e entra na anal, em que se dá conta de que produz xixi e cocô. No geral, por volta dos 2 anos e meio, ele emite sinais claros disso.

O que observar?
Observe a capacidade de controle dos esfíncteres da criança. Em outras palavras: repare se ela se queixa quando está com a fralda suja e se avisa que vai fazer necessidades. Algumas se escondem em um canto da casa e se abaixam quando querem fazer cocô, mostrando que têm consciência de suas eliminações e estão prontas para começar o desfralde.

Como tirar?
- Primeiro, deve acontecer o desfralde diurno, em um período tranquilo da vida da criança – evite épocas de grandes mudanças.

- Deixe a criança aprender a ir ao banheiro pela imitação. Se vocês ainda não fazem isso em casa, deixe que seu filho veja a mãe e o pai fazerem xixi. Ele vai notar que há diferenças no jeito de urinar, e essa já será uma ótima oportunidade para explicar como meninas e meninos usam o banheiro.

- Escolha uma estação quente para iniciar o processo, pois os escapes de xixi deixam a criança molhada e desconfortável.

- Deixe seu filho de cueca ou de calcinha e com roupas leves, para facilitar. Aproveite dias de calor e deixe-a brincar sem roupas pela casa (ou, pelo menos, em algum lugar que não cause grandes prejuízos se ela fizer xixi no chão). No começo, as escapadas de xixi são inevitáveis, e assim você não molha tanta roupa.

- Explique que ele deve avisar quando quiser usar o banheiro e esteja presente.

- Este não é o momento para usar jardineiras, macacões, vestidos complicados, bodies, meia-calça e calças com cinto. Prefira roupas de elástico, fáceis de pôr e tirar, e compre calcinhas e cuecas larguinhas.

Mantenha a porta do banheiro aberta, e o penico num local acessível.

- Use um penico ou redutor de assento com apoio para os pés (isso favorece a prensa abdominal, posição que estimula a evacuação). Mostre a ele que o penico é dele e que ele pode até colar adesivos nele, por exemplo. Deixe-o sentar lá de roupa e tudo, se ele quiser. Depois, com calma, sugira que ele experimente sentar sem a roupa. Não se assuste se ele estranhar (é gelado!). Não force, só incentive com bom humor.

É preciso muito cuidado para não pressioná-lo, pois esse é um dos maiores erros que os pais cometem.

Caso ele se recuse a sentar no penico, brinque com um boneco ou um bichinho de pelúcia, colocando-o para fazer xixi e cocô lá. Dá até para improvisar um peniquinho especial para o "amigo", se você achar que isso vai ajudar.

- Comemore quando a criança avisar a tempo de usar o banheiro. Alguns pais utilizam o sistema de recompensas, mas isto fica a cargo da cultura de cada família. Não é necessário, mas também não causa prejuízos irreparáveis e é interessante estar atento para que tipo de recompensa será oferecida. Quando a opção for premiar, evite balas, doces e presentes, pense em alternativas com valor simbólico, que alimentem o sucesso e façam a criança sentir-se valorizada. Lembrem-se, para uma criança, a companhia e o orgulho dos pais é o melhor presente!!!

- Se escapar, não brigue. Apenas diga que acontece e que, da próxima vez, ele deve avisar um pouco antes. Todo o esforço pode ir rapidinho por água abaixo, por meses e meses, se você perder a paciência e fizer a criança se sentir mal porque o xixi ou o cocô escapou. Mesmo as crianças mais treinadas têm acidentes de vez em quando.

Segure a bronca com todas as suas forças, mesmo que seu filho esteja fazendo cara de paisagem, como se nada tivesse acontecido, e haja cocô por todo lado.

Se as escapadas estiverem ficando frequentes demais e seu filho parecer não se importar, talvez valha a pena pensar em dar um tempo no desfralde e só começar com o processo dali a alguns meses.

- Fique de olho para entender a rotina de seu filho. Muitas vezes, ver irmãos e primos mais velhos usando o banheiro é um estímulo para a criança, que deseja copiar os maiores e entende o processo como natural.

- O que os pais adotarem em casa precisa ser feito na escola, com a concordância de ambas as partes. Na creche, a retirada da fralda pode ser mais fácil porque uma criança se espelha em outra, que já está adiantada nesse processo, querendo igualar-se a ela.

- O tempo de desfralde varia: pode levar poucos dias para uma criança ou mais de um mês para outra.

- Quando perceber que o processo está estabilizado e seu filho já controla bem o xixi e o cocô durante o dia, parta para o desfralde noturno, mas não se assuste se demorar mais. Os médicos dizem que é normal e a fralda da noite pode ser necessária para algumas crianças até os 4 ou 5 anos. Comece diminuindo a ingestão de líquido do seu filho durante a noite. Diariamente, antes de colocá-lo na cama, diga para fazer xixi. Nas primeiras madrugadas, o ideal é levá-lo a cada duas horas ao banheiro e tente descobrir em que horário, aproximadamente, ele costuma urinar. Então, procure acordar toda noite nesse horário para colocá-lo no vaso e, mais para frente, ensiná-lo a ir sozinho quando precisar. Observe, quando ele acorda, se a fralda está molhada. Há crianças que fazem xixi imediatamente ao acordar, por isso vale a pena olhar logo que ele desperta e oferecer para levá-lo ao banheiro. Só decida eliminar a fralda da noite quando perceber que seu filho já acorda algumas vezes com a fralda seca (três noites em cinco é uma boa medida).

O organismo pode ter dificuldade de segurar o xixi durante as fases de sono profundo. Se você tentou e os episódios de xixi na cama se transformaram em um transtorno para a família, simplesmente volte atrás, explique a ele que é melhor esperar um pouco e que logo o corpo dele estará pronto para tentar outra vez.

- Uma dica valiosa para os meninos!!!

Como muitas vezes o xixi e o cocô vêm juntos, e nem sempre a criança sabe identificar qual deles está para sair, faz mais sentido ensinar o menino a fazer xixi e cocô do mesmo jeito, sentado, pelo menos no começo. Outra vantagem é que ele pode se concentrar na coisa em si, sem ter de se preocupar em acertar a pontaria.

Mostre que ele tem de colocar o pênis para baixo, com a mão, para que o xixi não escape para todo lado. Isso mesmo na hora de fazer cocô: às vezes o xixi vem junto, conforme ele faz força.

Uma vez que ele esteja fazendo xixi direitinho sentado, você pode propor que ele tente fazer em pé na privada. Use um banquinho (cuidado para não virar, nem escorregar). Não há pressa para isso.

Quando pedir ajuda?
A fralda diurna não costuma representar problemas para os pais, mas a noturna é mais desafiadora: pode levar de seis meses a dois anos para que seu filho adquira o controle. O caso só preocupa os médicos quando a criança tem mais de 5 anos e ainda faz xixi na cama diariamente ou mais de uma vez por noite, o que pode ser caracterizado como enurese noturna, que requer avaliação médica para ser diagnosticada e tratada.

- Dicas rápidas

Primeira semana – Levar a criança ao banheiro de duas em duas horas para fazer xixi e nos momentos em que ela está acostumada a fazer cocô. Limpá-la e vesti-la;

Segunda semana – Continuar o mesmo procedimento, mas deixando a criança sozinha no banheiro, pedindo que chame quando terminar para limpá-la e ajudá-la a se vestir;

Terceira semana– Deixar que a criança decida quando ir ao banheiro, mas perguntar algumas vezes ao dia (quatro a cinco). Começar a estimulá-la a se limpar, mostrando como se faz. Também mostrar a importância de dar a descarga e lavar as mãos sempre;

Quarta semana – Deixar a criança decidir sozinha quando ir ao banheiro. Não perguntar mais. Vão ocorrer “escapadas”, mas é assim mesmo. Pais e cuidadores precisam ter paciência porque logo, logo evacuar e fazer xixi farão parte da rotina da criança.

Fontes:

macetesdemae.com

desenvolvimento-infantil.blog.br

brasil.babycenter.com

revistacrescer.globo.com

Deixe seus comentários

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário foi encontrado